UFRJ - PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TEORIA PSICANALÍTICA

Área Restrita

Esqueci minha senha

Curso

Disciplinas 2017.1

IPG 755/ IPG 844 – História da Psicanálise
Sobre as relações entre Psicanálise e História / História da Psicanálise

Professor Joel Birman
Horário: segunta feira – 12h
Início: 6 de março

A finalidade desse curso é a de estabelecer as relações entre os discursos da psicanalise e da história, numa perspectiva ao mesmo tempo histórica , arqueológica e genealógica.Para isso retomaremos as leituras dos historiadores, assim como da arqueologia do saber e genealogia do poder de Michel Foucault. A partir disso vamos empreender uma leitura sobre a história da psicanálise, incluindo aí a leitura da história realizada por Freud.

 

IPG 746/ IPG 835 – Conceitos Fundamentais da Psicanálise I

Constituição subjetiva e alteridade

 

Professor Carlos Alberto Costa

Horário: segunda feira – 16h

Início: 13 de março

 

Objetivo geral: este curso intenta explorar textos de Freud, Lacan e de outros autores e interlocutores do campo psicanalítico de modo a circunscrever algumas relações entre os modos de constituição subjetiva e as diversas formas de alteridade assim como estas são apreendidas pela psicanálise.

Objetivos específicos: visando atingir o objetivo central do curso, estabeleceram-se os seguintes passos para a aproximação ao debate constituição subjetiva-alteridade:

1) identificar elementos para o debate da disciplina na teoria Freudiana das pulsões;

2) apreender, em Freud e Lacan, aspectos gerais para a função da imagem na constituição do sujeito;

3) discernir na hipótese lacaniana da dimensão linguageira do inconsciente, a função simbólica da alteridade;

4) discutir como o conceito lacaniano de real em suas diferentes formulações - "não simbolizado" (Seminário II), das Ding (Seminário VII) e incompletude do simbólico (seminário XX) trazem diferentes reverberações para a relações entre sujeito e outro.

 

IPG 748/ IPG 837 – Conceitos Fundamentais da Psicanálise III
Figuras do excesso e do trauma

Professora Marta Rezende Cardoso
Horário: quinta feira – 9h
Início: 9 de março

Neste curso será investigada a questão do excesso e do trauma a partir de um estudo detalhado de proposições freudianas e de outros autores sobre temas em que estas noções constituem uma espécie de eixo central. Elas serão analisadas sob diferentes ângulos tendo como plano de análise algumas de suas significativas figuras, por exemplo, a hipocondria, a neurose obsessiva, as experiências subjetivas da dor, as compulsões. Procura-se, desse modo, incrementar a compreensão de situações clínicas particulares ancoradas numa base traumática e de algumas problemáticas teóricas que se entrecruzam com as noções de trauma e de excesso em Psicanálise.

 

IPG 762 / IPG 851 – Tópicos Especiais em Psicanálise IV
Clínica, criação e psicose

Professor Julio Verztman
Horário: quinta feira – 13h (IPUB)
Início: 6 de março

O presente seminário pretende refletir sobre as noções de criação e criatividade no que tange à experiência de sujeitos distantes do paradigma neurótico, especialmente os psicóticos. Nos primeiros encontros, discutiremos certos textos de Winnicott sobre o espaço potencial, a criação e o continuar a ser. Logo depois passaremos a examinar artigos de autores, especialmente no contexto brasileiro, que discutem o entrelaçamento entre a loucura, a arte e o campo da saúde mental. Na última etapa do seminário, convidaremos artistas e estudiosos da articulação entre arte e psicose, para dar seu testemunho sobre as possibilidades de criação em contextos em que esta se configurava sob o signo do impossível.

 

IPG 751/ IPG 840 - Psicanálise e Filosofia
Ciência e Psicanálise

Professor Amandio Gomes
Horário: sexta-feira – 13h
Início: 10 de março

O curso visa discutir a posição da psicanálise em relação à ciência tendo por base os seguintes textos: a conferência de Freud sobre a Weltanschauung; os Seminários de Lacan Livros 1 e 2 (o inconsciente e o conhecimento científico no registro do simbólico), Livro 3 (o foracluído do simbólico na psicose e na ciência), Livro 7 (a experiência na objetividade, e a experiência do êxtimo); os artigos de Lacan nos Escritos “Do Sujeito Enfim em Questão” e “A Ciência e a Verdade”. Inicialmente, retomando duas referências importantes para Lacan relativamente à ciência, serão discutidos as três primeiras Meditações Metafísicas de Descartes, além dos artigos de Koyré, “Galileu e a Revolução Científica” e “Galileu e Platão”.

 

IPG 749/ IPG 838 - Conceitos Fundamentais da Psicanálise IV
O laço social e as rupturas: sobre o emprego do termo revolução

Professora Tania Coelho dos Santos
Horário: sexta feira – 8:30h
Início: 03 de fevereiro

Venho trabalhando os aspectos essenciais do laço social contemporâneo. Efeitos da lei do mercado tais como o rebaixamento da dignidade do objeto de gozo à forma mercadoria. A fragmentação do Outro do simbólico segmentado numa pluralidade de tribos com suas ideologias, discursos, sintomas e laços sociais. Questiono a tese de que o Outro na contemporaneidade não existe. Observo que o desmentido banal da ordem simbólica tradicional – especialmente no que se refere à diferenças sexuais e geracionais – enseja a luta pelo reconhecimento da particularidade da visão de mundo dos que apostam na diversidade psicológica, sexual e cultural. A possibilidade de universalização ou de coletivização da verdade está ameaçada. A pós-verdade domina os meios de comunicação desde o advento da internet. Por toda parte acredita-se que vivemos um tempo que permanentemente se reinventa. Quase tudo é percebido como potencialmente revolucionário. Evoca-se, como ameaça moral, os termos conservador e reacionário. Queremos avaliar a pertinência do conceito de revolução à luz da psicanálise. Em que medida ela também é revolucionária ou conservadora?

 


Seminários de Pesquisa

É necessário contatar o professor para efetuar a matrícula nestes seminários

IPG-744 / IPG 834 – Objeto da Psicanálise
Objeto vocal e interpretação

Professora Angélica Bastos
Horário: quinta feira – 14:40 hs
Início: 22 de março

No primeiro semestre de 2017, visaremos circunscrever os limites da interpretação analítica e o lugar nela reservado ao objeto. Partiremos da premissa segundo a qual a interpretação incide sobre a causa do desejo e concentraremos nosso trabalho no objeto vocal. Investigaremos especialmente o gozo, a angústia e o desejo ao longo do Seminário livro 10, de Jacques Lacan, a fim de delinearmos o objeto voz na experiência psicanalítica. Retomaremos a problemática e os paradoxos do supereu no que concerne ao imperativo de gozo e à voz. Com o intuito de circunscrever a resposta do analista à transferência e os efeitos da interpretação, serão trabalhados casos clínicos da literatura especializada.

 

IPG 761/ IPG 850 - Topicos Especiais em Psicanálise III
O dispositivo analítico na clínica contemporânea

Professores: Regina Herzog, Fernanda Pacheco, Julio Verztman e Teresa Pinheiro
Horário: sexta feira – 11h
Início: 10 de março

Este seminário vai dar seguimento à pesquisa das questões oriundas do atendimento psicanalítico que tem lugar no projeto sobre as compulsões realizado pelos membros do NEPECC. Neste semestre será abordado o tema do manejo clínico, visando extrair uma perspectiva clínica que leve em conta, principalmente, o papel e a função que o analista exerce na dinâmica psíquica complexa que tais atendimentos apresentam em termos de desafio clínico. O pensamento de Sandór Ferenczi será de relevância fundamental para tal empreendimento dado que este autor é conhecido como quem trabalha os ‘casos difíceis’. O objetivo deste seminário será a produção de artigos para apresentação em encontro a ser realizado no segundo semestre de 2017 e em congresso internacional que terá lugar em 2018; também temos como projeto a publicação de livro com os resultados obtidos.

 

IPG 747/ IPG 836 - Conceitos Fundamentais da Psicanálise II
Corpo e intervenções biomédicas II

Profa. Anna Carolina Lo Bianco
5as.feiras – 13h
Início – 16 de março

Continuaremos neste semestre a estudar a imagem do corpo e seus efeitos sobre a identificação e o reconhecimento. Da vez anterior nos detivemos na conceituação lacaniana do Estádio do Espelho, a qual nos forneceu um solo firme para considerarmos a função constituinte da formação da imagem para o Eu. Neste semestre tomaremos o Relatório de Daniel Lagache na expectativa de avançarmos no mesmo caminho de exame da constituição do eu corporal – que, como vimos, nos oferece condicões de possibilidade para nos aproximarmos do que encontramos na clínica de pacientes que sofrem intervenções médicas radicais, cujas consequências se fazem sentir sobretudo na esfera narcísica.  Mais uma vez, à dimensão do que enfentra o sujeito na condição de paciente destas intervenções, procuraremos nos deter simultaneamente no que as intervenções profissionais apontam para a condição do sujeito que trabalha com elas e que em grande medida são responsáveis pelas decisões que levam a que tais intervenções sejam tomadas.

 

 

 

 

 

 

 

 

« volta

© 2014 Todos os direitos reservados a UFRJ - Programa de Pós Graduação em Teoria Psicanalítica
Desenvolvido por Plano B